bikenauta

Julho 10 2011

O malemolente sambista João Nogueira fez uma ode a cada um de nós. Em seus versos ele afirma o que desconfiamos há muito tempo, que somos invencíveis, duros de roer, nós na madeira. Quando, no balanço do trem para a Central, olho nos olhos daquela gente lutadora que desde 4:30 da matina está na rua para chegar ao trabalho, tenho de reconhecer que cada um ali, homem ou mulher, é um guerreiro revestido de força e coragem a toda prova. São nós na madeira. Como cantou João:  

“Sou nó na madeira
Lenha na fogueira que já vai pegar
Se é fogo que fica ninguém mais apaga...”

Os praticantes de esporte, como os ciclistas, também são gente forte. Neste sábado, 09/07/2011, com o frio atravessando a roupa, saímos para um pedal de 80km. Aliando o esforço ao prazer de ver desfilar ao lado da gente matas, riachos de águas claras e o gado pastando com gestos vagarosos, expulsamos o estresse de nosso corpo e cada célula parece ficar mais limpa e ativa.

Ser nó na madeira também significa ser persistente, não desistir e, desta vez, deixando os colegas seguir adiante atravessei duas vezes um riozinho gelado e consegui ver a cachoeira do Juscelino, uma obra de arte da Natureza.

 

E sentados a mesa da casa de dona Kátia e seu Quinzinho comemos uma comida quentinha e saborosa e depois nos regalamos com um arroz doce divino. Assim, a trilha que andamos hoje pode ser chamada de Trilha do Arroz Doce. Somos nó na medeira, mas muito sensíveis e quase poetas.

 

publicado por joseadal às 00:36

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
Tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO