bikenauta

Março 13 2012

Com 868 m de altura em seu ponto mais alto e medindo 14 km de comprimento no sentido leste-oeste e 9 km no norte-sul, ela se destaca esplendidamente na baixada fluminense e conhecê-la bem é tarefa para muitas subidas.

As chuvas que caem em seus altos descem num padrão de drenagem denominado dendrítico ou em forma de nervuras de uma folha, o que faz suas encostas bem acidentadas e mais lindas com desfiladeiros e grotões. Oficialmente chamada de serra do Mendanha, ela foi formada por um vulcão que surgiu no antigo planalto do supercontinente Gondwana, há 76 milhões de anos. Não há perigo dele voltar a atividade já que as placas geológicas fraturadas que permitiram a saída do magma do núcleo do planeta quando da separação da África da América do Sul já flutuaram para muito longe e estão hoje sob o oceano Atlântico. Nesta foto, o riacho Efigência rola por cima de magma solidificado há milhares de anos.

Assim como tem várias encostas a serra tem muitas subidas. São estradas, caminhos e trilhas abertos pelos colonizadores de forma dura e corajosa. Neste domingo, 11/03/2012, eu, Celmo e João Henrique subimos primeiro para as cachoeiras passando por um atalho no bairro K11 e descendo por Mesquita; ambos com muitas pedras soltas. O calor e o frio racham, fragmentam e pulverizam o granito e o calcário; a serra está em constante trnasformação. Precisamos deixar as bikes na entrada do parque Municipal e seguimos a pé em meio a muitos visitantes e banhistas alegres. O calor estava forte, se bem que no meio da floresta não sentíamos.

Mas quando pedalamos de volta para Nova Iguaçu o asfalto estava de fritar. Almoçamos e nos hidratamos com muita cerveja gelada enquanto a conversa amiga rolava solta. Eles estavam de carro, mas eu fui de ônibus e tinha hora para voltar. Assim, apressei os jovens para subirmos novamente a serra, agora pegando o caminho da rampa de asa delta que começa em frente a universidade. O sol ardia e parecia que estávamos dentro de um forno de micro ondas.

Com uma hora de subida, quase toda empurrando as bikes, eu estava para morrer, mas os jovens me ajudaram. Porém, depois de beber da água fresca de uma fonte ganhei novas forças e continuamos a subida por mais outra hora. O visual era lindo com os bairros da baixada se alargando lá embaixo.

Eles quiseram demorar mais um pouco, mas meu tempo escasseava e desci velozmente chegando lá na avenida em menos de 20 minutos. Corri para a rodoviária e eles chegaram quando minha condução já ia saindo. Apertamo-nos as mãos com sorrisos de satisfação e olhamos a serra que parecia nos desafiar: vocês ainda têm muito que conhecer aqui em cima. É, a serra do Vulcão não pode ser conquistada numa única investida.

 

publicado por joseadal às 02:57

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


pesquisar
 
Tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO