bikenauta

Agosto 31 2012

Carta ao meu genro:

Sérgio, dos dois, você é o que conheço há mais tempo e com quem menos converso. Mas sabendo do mal estar que sofrestes resolvi ser hora de falar contigo do alto dos meus quase 70 anos.

Em um mundo onde precisamos ter dinheiro para fazer quase tudo, um homem que além da profissão e o cuidado com a família decide ajudar outros, ser um bispo, um pastor de almas, merece aplausos. Mas, lembrando o que o rei Jesus disse: “Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?", a real ordem de valores na vida é: salvar a nossa alma, ajudar esposa e filhos a salvarem-se e, sem prejudicar estas, ajudar outros.

Cada um de nós tem seu espaço vital: “é aquele que uma pessoa reserva para si, o espaço-tempo que cada um tem o direito de usufruir e, dentro de cujas fronteiras, qualquer ser humano é persona non-grata” – definição da terapeuta DeRose, de Ribeirão Preto.  

- Isso parece meio egoísta, não é não, Zé?

Um ensinamento da Bíblia, regra básica de sobrevivência é: “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida”. É o mesmo princípio que Jesus reafirmou depois: o perigo é “perder a sua alma”. Então, antes da mulher e dos filhos, mesmo antes da igreja, está a nossa alma. Os profetas gritam nas ruas: Salve tua alma! Parece uma insistência tola e é mesmo para quem está vivendo a ‘mil por hora’. Pode ser até uma redundância para quem crê, como cristão que a morte não é o fim, pois haverá a ressurreição ou a continuação da vida após. Quem tem fé, isto é, acredita em muito mais coisas além da matéria, é confortador ter a consciência de que sofra-se o que vier estamos inscritos no Livro da Vida, o imenso computador que guarda a memória de todas as almas. Mas o perigo, o que o aviso insistente repete: Acima de tudo, é que Deus – me parece que muito a contragosto - pode apertar a tecla Del no arquivo de uma pessoa e ela deixar de existir.

Assim, meu genro, este teu sogro bem egoísta, te avisa: cuida bem de tua vida. Tratar bem dela inclui o cuidado inadiável com o corpo, repositório de quem somos nesta vida. Lembro-me de uma pergunta retórica do Senhor Jesus sobre João Batista: “Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?” Mas, tomando ao pé da letra é isso mesmo. O primo e estimado pregador João Batista era magérrimo, como “um caniço agitado pelo vento”. Também, como era a alimentação daquele homem incansável: gafanhotos e mel silvestre, e muito caminhar ao ar livre. Se não lhe tivessem cortado a cabeça poderia ter vivido mais de 80 anos.

(esta rapaziada passou por Volta Redonda participando da prova Tour do Rio; é impressionante a vitalidade deles, são só ossos, músculos e alma)

O que quero lhe ensinar é: faça um esporte e viva mais, para, com mais tempo, salvar tua alma, de tua querida esposa, de teus dois meninos e quantos mais puder. É inadiável este cuidado, meu genro, é "acima de tudo".

publicado por joseadal às 13:17

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
23
24
25

26
28
29
30


pesquisar
 
Tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO