bikenauta

Dezembro 14 2010

Se tivéssemos ido em frente em meia hora estaríamos nos banhando na repreza, mas pelo "atalho" demoramos 2 horas com o Sol rachando por cima e passando por várias porteiras. Umas, simples tronqueira feita de varas e arames, outras de tábuas, mas todas fechando os caminhos.

No treile, na fazenda da Grama, diante de um cheiroso prato de comida comemos desanimados, tão cansado estávamos. Depois, eu e João nos estiramos a sombra junto ao campo de futebol sem ânimo, sem perna, sem nada, quase mortos. Mas a força voltou e corremos para Arrozal. Lá decidimos enfrentar as subidas da Melequinha e suas porteiras, algumas novas e firmes, a última velha e arriada, como nós dois da "melhor idade", rá-rá-rá-rá-rá. Precisou dois para abrir este guerreira que há anos, enfrentando sol e chuva se mantêm em seu posto, fechando caminhos.

Ê mundo sem porteira!

publicado por joseadal às 00:26
Tags:

Foram 93 quilometros muito desgastantes por causa do sol, mas ainda assim, muito melhor que se tivesse ficado em casa!
João Bosco a 14 de Dezembro de 2010 às 10:56

mais sobre mim
Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
16
17
18

19
20
21
23
24
25

27
28
30
31


pesquisar
 
Tags

todas as tags

blogs SAPO