bikenauta

Junho 02 2014

Girando e girando os pedais o ciclista segue estrada afora.

São muitas as razões que compelem as pessoas a sair sobre duas rodas. Vencendo espaços curtos ou longos, movidos por suas próprias forças, eles seguem. E sempre por algum objetivo. Dois amigos pegaram suas bikes e, no sábado 31/05/2014, foram em busca de uma nova experiência: assistir a festa em Piedade do Rio Grande, MG.

 

Para facilitar sua demanda pegaram o ônibus para Andrelândia, MG. Houve alguns percalços, mas deu tudo certo, no final.

 

Pelas janelas do coletivo viram a cidade ficar para trás e surgir, soberano, o verde das paisagens da Mantiqueira. A viagem durou 4 horas.

Desceram as bikes, em Andrelândia, vestiram o uniforme e, às 11:30, montaram deixando a cidade. Era um passeio, mas tinham hora para chegar. Queriam assistir a missa fabulosa e precisavam rodar 70km pelas acidentadas terras de Minas Gerais.

Dois amigos e o espaço aberto por toda sua volta. Estavam no alto da serra e por onde a vista alcançava tudo estava lá embaixo. Almoçar uma comida mineira é sempre prazeroso. Em São Vicente foi aquela fartura e tendo como paisagem os morros sem fim a refeição foi ainda melhor.

Continuamos. Num ritmo forte, sempre pelo asfalto, passamos Madre de Deus e começamos uma subida que não acabava. Ainda mais alto, num espinhaço da Mantiqueira os dois lados da estrada abriam-se em um panorama sem obstáculos.

A tarde passou rápido, as sombras se alongaram e uma aragem trouxa a friagem daquelas alturas. As 18 h se aproximavam e, de repente, surgiu empertigada o arruado de casa de Piedade.

A cidade em festa, as ruas cheias, descemos a avenida principal em direção a Matriz. A procissão sairia em pouco e corremos para casa do presidente da organização da Congada e Moçambique, o hospitaleiro Elson. Apresentamos-nos, deixamos as bikes guardadas e tocamos para a igreja, bem a tempo de acompanhar os fiéis carregando os andores. (em primeiro plano o amigo Elson)

Nossa Senhora em duas de suas formas, do Rosário dos pretos e das Mercês, e são Benedito eram reverenciados como parte da grande Comunhão da Igreja. Puxados pelos padres os católicos cantavam hinos e rezavam o terço.

A intervalos uma banda entoava cânticos de louvores e na subida da rua da feira os participantes da Congada e Moçambique, em suas roupas imaculadamente brancas, com seus chapéus sem aba e ornamentados de fitas coloridas puxaram o louvor a Senhora Mãe dos Pretos, N. Sra. do Rosário.

Foi tudo muito belo, mas a noite de festa e devoção estava só começando.

Veja o vídeo http://youtu.be/VdeECLRbCxk          

publicado por joseadal às 21:23

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
20
21

23
24
25
26
27
28

30


pesquisar
 
Tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO