bikenauta

Março 03 2015

Um caminho que ainda não se passou é um desafio. Mas por que passar por uma estrada desconhecida? Não é tão melhor andar por onde já conhecemos bem? Não será uma vaidade do espírito, um orgulho, avançar pelo desconhecido?

S do Matoso (30).JPG

Quando eu e o amigo João Ademar paramos na entrada do Parque Estadual Cunhambebe, olhando o caminho que se perdia entre as serras, sentimos o que? Eu sou o bom, sou o tal, vou afrontar este sertão? Não, quedamos humildes, reverentes e ao mesmo tempo ansiosos de ver mais da obra de Deus. Pode acreditar, aquela trilha subindo para os picos da serra do Mar nos fez respeitosos. E tocamos por ela.

S do Matoso (32).JPG

 

A serra do Matoso foi um caminho que os desbravadores dos tempos coloniais encontraram para ultrapassar o cinturão de serras que cercam o Rio de Janeiro e chegar ao interior da nova terra que exploravam. Por todo caminho vimos alicerces de pedra de antigas casas de fazenda.

S do Matoso (43).JPG

 

É um lugar em que a mata Atlântica ainda tem bons pedaços intocados e a água brota de incontáveis minas e cruzam a estradinha. Cachoeiras e cascatas enfeitam as matas. Credo, parece até enredo de Escola de Samba! Se você olhar bem esta foto vai ver quatro bikes deitadas na segunda pedra à direita. Lá por cima encontramos mais de quinze ciclistas.

S do Matoso (56).JPG

Quando planejei o caminho o Google me deu 20km de trilha entre os altos picos. Mas me enganou, foram 35km de sobe e desce no meio da beleza selvagem. Daí a vantagem de se sair bem cedo. Quando chegamos ao Rancho do Cláudio – lugar lindo e cheio de atrativos escondido no meio do sertão – já rodáramos 85 km e não era meio-dia.

S do Matoso (58).JPG

Quando finalmente a gente sai dos grotões da serra do Mar, recebe-se um choque ao ver o mundo quase um quilômetro lá embaixo. Toda Baixada Fluminense enche os olhos da gente.

S do Matoso (74).JPG

Uns motoqueiros que encontramos nos disseram que há muitos caminhos lá por cima e me detalharam três deles. O que passa pelas represas é muito cascudo e ele avisou - só pra botar medo na gente -: Mas vão com mais ciclistas porque ali tem muita onça!

S do Matoso (71).JPG

 

Então, já fique sabendo, vou voltar a serra do Matoso para andar por outros caminhos desconhecidos.   

publicado por joseadal às 11:39

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


pesquisar
 
Tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO