bikenauta

Outubro 06 2014

A votação está apertada.

- Ô ‘seu’ Zé, pensei que ia falar de bicicleta, já tou cheio de eleição.

Falo das opiniões sobre ZéAdal. Uns acham que ele se perde porque está ficando gagá, outros entendem que ele não perde a oportunidade de achar novos caminhos. Acho que nem ele mesmo sabe ao certo seus motivos. O fato é que querendo (?) subir a trilha do Avestruz, entrou num caminho errado e se perdeu. Em vez da trilha vermelha inventou a azul. Deixo com ele o relato dos fatos.

 

 

Guiando os amigos Ademar e João2010 rodamos pelo asfalto até a entrada de Dorândia. Saímos cedo, o dia estava começando.

 

Dentro de Dorândia seguimos à direita em estrada de chão, passando por uma bela fazenda que João quis me ‘vender de boca’

 

e entramos à esquerda numa porteira. Depois de outra porteira é trilha, caminho pouco usado onde a grama cresce.

 

Depois de uma subida calçada de pedras – mas não do tempo dos escravos – chega-se a um antigo laticínio, aí começou meu problema. Mesmo tendo passado umas cinco vezes por aqui me deu um branco total. Não conseguia ‘ver’ o caminho e na minha cabeça martelava uma ordem: entre à direita. Entramos, e as bikes passaram a correr por um trilho, mas muito bonito com túneis feito de bambuzal,

 

muito pasto e gado solto e velhas casas de fazenda abandonadas. Não se via vivalma. Ainda cheguei a ver um caminho à esquerda, mas me pareceu que ia para um sítio e seguimos adiante. No caminho do Avestruz tem mais umas quatro subidas calçadas de pedras quadradas, mas não achei nenhuma, estava mesmo perdido. O trilho ficou bem ruim, o que quer dizer que o pedal estava melhorando.

 

Mas o gps que a gente carrega naturalmente mostrava que estava indo na direção de Ipiabas, onde queríamos chegar. Na verdade percebi que estávamos fazendo um desvio para direita, mas não ia voltar de jeito nenhum. Perdido por um perdido por mil. Finalmente, o trilho voltou a virar estradinha

 

e logo chegamos ao asfalto Barra do Piraí-Ipiabas. Até que não erramos muito, só 8 km. Nunca tinha passado nestre trecho e fiquei cansado com uma subida forte quase duas vezes maior que a Mutuca. 

 

Então, tocamos para Ipiabas, fizemos um lanche e depois de considerar as razões de Ademar e João de voltarmos para votar, consegui trazê-los direitinho pelo Avestruz.

 

Lá de cima o mar de morros se perde no horizonte. Depois de um descidão maneiro chegamos rapidinho à Dorândia.

Tenho de confessar que não deu para imitar os pioneiros que pedalam e vão catando todo lixo não orgânico pelo caminho. Grandes garotos. Mas apreciamos a natureza que luta para manter a vida selvagem na Terra. Vimos bandos de jacús com suas longas caldas preta.

 

 

 

Aí foi correr pelo asfalto e ir às urnas.

publicado por joseadal às 08:45

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17

19
21
22
23
24
25

27
28
29
30
31


pesquisar
 
Tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO