bikenauta

Maio 10 2012

Sete homens empreenderam uma viagem de 14 dias em suas bicicletas por acidentadas estradas de
Minas e esta aventura merece ser contada. Pedalar por 1.145 km subindo serras com
1.200 m de altura parece empreitada para jovens de 20 anos, mas o idealizador desta
volta enorme foi João Bosco de Castro Reis com seus 68 anos vividos sabiamente.

[pedalando pelas Gerais]

Pai de quatro filhos e dois netos João é uma pessoa contida, mas que faz amizades com facilidade.
A bicicleta é seu grande motivador, e não é de agora. Os longos circuitos sobre
a bike são sua preferencia. Quando jovem ele fez uma viagem muito grande sobre uma
bike de ferro sem marchas ou suspensão e sem capacete ou luvas. Ele conta:

[passando por Ervália, cidade em que nasceu]

"Em 1969, eu tinha 25 anos quando brinquei com um amigo que pedalava comigo pra
S.Rita, Rio Preto e outro pedais mais curtos. – ‘Vamos a Caratinga???’. Em
menos de 1 segundo, já estava resolvido o passeio. Só faltava preparar as
bikes, digo, as bicicletas, kkkk e o roteiro de 1400km, inclusive BH”.

Nesta aventura de agora Bosco foi meticuloso. Mapeou todo caminho e colocou a
disposição dos interessados - também para intimidar o ciclista afoito e não
preparado - a altimetria do relevo denteado das alterosas.

Implacável consigo mesmo esteve pronto e de café tomado durante as 13 manhãs que durou o
périplo. Mas não pense em JB como um sargento durão. Não, ele é brincalhão,
como nesta foto em Levy Gasparian num momento de descanso e de merendar frutas
e que bem podia se chamar "ciclistas bichas loucas”.

[descontração em Levy Gasparian]

Uma pedalada, para Bosco não é uma correria só. De cada uma guarda na mente, no
espírito, as paisagens vistas das encostas, árvores de todas espécies em
formatos cada qual mais lindo e as experiências que curte com os colegas.


Fotografar tudo que é importante lembrar é seu segundo interesse.

Você talvez pense: andar um quilometro de bicicleta já é cansativo, que sacrifício tremendo
deve ser andar mais de mil! Perguntei a João Bosco o que o faz pedalar tanto, e
ele disse: “Foi indescritível o prazer que sentimos naquele passeio. Então foi daí que tomei o
gosto de pedalar assim... Sei que você pode imaginar o quanto foi bom, não é?! No
ano seguinte fui com esse mesmo amigo para Recife de carona num trem, de navio
gaiola no São Francisco, de qualquer jeito. Não tem à ver com a bike, mas tem à
ver com a aventura!!! Então é isso. A coisa vem daquele tempo...”

Este homem que não envelhece é curtido em aventuras pelo mundo afora.

publicado por joseadal às 12:16

mais sobre mim
Abril 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


pesquisar
 
Tags

todas as tags

blogs SAPO