bikenauta

Janeiro 25 2015

Acho que já posso dar uma aula de ciclismo de mountain bike. Então vou falar das Trilhas.

Elas podem ser: simples, como a de Rio Claro, e composta, como a de Sta. Rita de Jacutinga que sobrepõe as de Amparo e Sta. Isabel do Rio Preto.

Segundo o piso, podem ser: asfalto, como a de Fazenda da Grama, mista, como a de Amparo passando pela do Peixe, e cascuda, quando o terreno é cheio de pedras, canaletas e areal, como a do Túnel do Caparaó.

Quanto a altitude, podem ser: plana, como a de Arrozal, média, como a de Lídice, alta, como a de Bom Jardim, e pesada, como a da Cachoeira do Bracuy.

E pela extensão, podem ser: curta como a de Pinheiral, longa, como o Duzentão, e sem fim, como os Mil km de Minas feita por João Bosco e amigos.

Mas qualquer trilha pode ser modificada, acrescida e apimentada. Lembre-se também que ela varia segundo o sentido: a trilha de Sta. Rita de Cássia é mais fácil partindo do Açude do que da fazenda Santana do Turvo. E percorrer um caminho no inverno, tempo fresco, é completamente diferente de quando se pedala sob o sol de verão.

Para os mais tarimbados no pedal existem as supertilhas que reúnem todas estas características, como a que vamos fazer em 01/02/2015, a Trilha dos Warriors.

Mas todas as trilhas são belas. Conheça-as.

TrilhaBocaina (25).jpg

 

Em tempo: Os exemplos dados aqui são de trilhas que partem de Volta Redonda, mas seja qual for sua cidade, aí também existem os mesmos tipos de Trilhas.

publicado por joseadal às 17:33

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Janeiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24

26
29
30
31


pesquisar
 
Tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO